Motivos para ter criado o Blog:

Mi foto
Eu criei este Blog pra levar a Palavra de Deus a toda criatura. (Marcos 16; 15) Obs.: É por meio deste Blog que eu estou publicando os Estudos que já havia enviado aos meus amigos por e-mail, e aos que não viram todos, aqui terão acesso a eles; pois também foi pelo aumento na demanda de pessoas nos grupos de e-mail que criei o blog. Eu já publiquei os novos, após publicar os anteriores." A Palavra de Deus se renova a cada manhã!", "O céu e a terra passarão, mas as minhas Palavras não hão de passar. - Mateus 24; 35" Um outro motivo pra o blog existir foi por causa de alguns amigos que me incentivaram/estimularam e ajudaram pra que essa idéia se concretizasse e por meio dela, muitas almas sejam alcançadas. Aproveitem este espaço pra conhecer um pouco mais da Palavra de Deus e me ensinar também! Obs.: “Muitas das mensagens que postei fui eu quem “escreveu”, utilizando a Palavra de Deus; e as que não fui eu que “escrevi” completamente ou complementei, procurei citar o nome do autor, e alguns que não coloquei foi por não saber quem é!” Este Blog só existe pra levar a Mensagem do Sofrimento de Jesus na Cruz, que foi por Amor a mim e a você! E não para qualquer outro propósito!

"Mas importa que o Evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações."

Marcos 13;10


domingo, 29 de marzo de 2015

Naamã, Deus o cura da Lepra!




2 Reis 5; 1-19: E Naamã, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu Senhor, e de muito respeito; porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este homem valoroso, porém leproso. E saíram tropas da Síria, da terra de Israel, e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã. E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra. Então foi Naamã e notificou ao seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de Israel. Então disse o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel. E foi, e tomou na sua mão dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez mudas de roupas. E levou a carta ao rei de Israel, dizendo: Logo, em chegando a ti esta carta, saibas que eu te enviei Naamã, meu servo, para que o cures da sua lepra. E sucedeu que, lendo o rei de Israel a carta, rasgou as suas vestes, e disse: Sou eu Deus, para matar e para vivificar, para que este envie a mim um homem, para que eu o cure da sua lepra? Pelo que deveras notai, peço-vos, e vede que busca ocasião contra mim. Sucedeu, porém, que, ouvindo Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel. Veio, pois, Naamã com os seus cavalos, e com o seu carro, e parou à porta da casa de Eliseu. Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado. Porém, Naamã muito se indignou, e se foi, dizendo: Eis que eu dizia comigo: Certamente ele sairá, pôr-se-á em pé, invocará o nome do SENHOR seu Deus, e passará a sua mão sobre o lugar, e restaurará o leproso. Não são porventura Abana e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não me poderia eu lavar neles, e ficar purificado? E voltou-se, e se foi com indignação. Então chegaram-se a ele os seus servos, e lhe falaram, e disseram: Meu pai, se o profeta te dissesse alguma grande coisa, porventura não a farias? Quanto mais, dizendo-te ele: Lava-te, e ficarás purificado. Então desceu, e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou-se como a carne de um menino, e ficou purificado. Então voltou ao homem de Deus, ele e toda a sua comitiva, e chegando, pôs-se diante dele, e disse: Eis que agora sei que em toda a terra não há Deus senão em Israel; agora, pois, peço-te que aceites uma bênção do teu servo. Porém ele disse: Vive o SENHOR, em cuja presença estou, que não a aceitarei. E instou com ele para que a aceitasse, mas ele recusou. E disse Naamã: Se não queres, dê-se a este teu servo uma carga de terra que baste para carregar duas mulas; porque nunca mais oferecerá este teu servo holocausto nem sacrifício a outros deuses, senão ao SENHOR. Nisto perdoe o SENHOR a teu servo; quando meu senhor entrar na casa de Rimom para ali adorar, e ele se encostar na minha mão, e eu também tenha de me encurvar na casa de Rimom; quando assim me encurvar na casa de Rimom, nisto perdoe o SENHOR a teu servo. E ele lhe disse: Vai em paz. E foi dele a uma pequena distância.




Lucas 4; 27: E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro.


Prezados, vemos na história de Naamã (chefe do exército do rei da Síria), homem de muito valor e respeitado pelo seu senhor (Ben-Hadade: rei da Síria) que tinha posição de destaque, porém tinha algo nele que o afligia, uma enfermidade incurável naquela época, era a Lepra (conhecida atualmente como Hanseníase ou mal de Hansen – homem que Deus permitiu que *descobrisse o tratamento e a cura para essa enfermidade), hoje em dia já é tratável e até mesmo curável, porém na época de Naamã não se cogitava o tratamento e muito menos uma remota cura.

*Descobrir: Encontrar o que era desconhecido, que estava escondido; achar.


Quando ele e seu exército invadem Israel, levam cativa uma menina que se tornou serviçal da mulher de Naamã. Essa menina em conversa com sua senhora, fala que havia um profeta em Samaria e que se Naamã o encontrasse seria curado da lepra, teria sua saúde restaurada.

Então esperançosa a mulher de Naamã o conta a respeito do profeta, que logo conversa com o rei Ben-Hadade, o qual diz que ele envie uma carta ao rei de Israel (Acabe) anunciando que Naamã está chegando e espera ser curado.

Porém Naamã não conhecia ao SENHOR, ele não sabia como Deus trabalha?! Achava que poderia comprar o milagre do Senhor com algumas moedas (10 talentos de prata, 6 mil siclos de ouro e 10 mudas de vestes); Ele esperava que Eliseu se posicionaria em pé, invocasse o nome do Senhor e passasse sua mão sobre o lugar e a lepra sairia. Porém ele não sabia que o preço era outro e que seria muito mais simples do que ele pensou. Deus orientou o seu servo, o profeta Eliseu a mandá-lo banhar-se 7 vezes no rio Jordão. Isso demandaria dele obediência, e despir-se do orgulho e preconceito acerca do povo de Deus, Israel.

É, Naamã após se indignar e relutar, finalmente obedeceu e desceu ao Jordão, mergulhou as 7 vezes e foi curado. Porém tinha que ser 7 vezes, isto era a prova da fé e obediência dele para com as ordens e condições de Deus. Após ser curado da lepra, Naamã voltou à Eliseu e reconheceu que não há Deus senão em Israel. Vale frisar que o profeta recusou qualquer tipo de pagamento que Naamã o ofereceu. Esta é a atitude correta de um profeta de Deus!


Amados, saliento que na lei de Deus para o seu povo (Israel), quem estivesse leproso seria excluído do convívio de sua família e expulso da cidade/arraial, pois era imundo.

Números 5; 2-4: Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto. Desde o homem até a mulher os lançareis; fora do arraial os lançareis; para que não contaminem os seus arraiais, no meio dos quais eu habito. E os filhos de Israel fizeram assim, e os lançaram fora do arraial; como o SENHOR falara a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel.

Porém como Naamã não era Israelita, ele não passou por essa situação, não deixou seu posto no exército da Síria e muito menos o convívio com sua família. No entanto, não foi privado de todos os sintomas que ela doença causa, e isto foi para uma finalidade: Ele reconheceu a soberania do SENHOR DEUS! Isto é o mais importante de tudo. Tudo vale a pena por uma alma que reconheça o SENHOR!

Para que não haja confusão na mente de ninguém, friso que esta era uma ação de Deus para proteger o povo de ser exterminado (Promessa de ser uma grande nação: Gênesis 12; 2: E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção.) por essa ou qualquer outra doença que ainda não houvesse cura através de medicamentos. Este era um ato de Amor de Deus pelos seus filhos. Medidas preventivas: Em caso de confirmação da lepra o sacerdote declarava imundo. Em caso que não houvesse certeza, seria encerrado por 7 dias, caso não avançasse seria encerrado por mais 7 dias e não se estender os sintomas da lepra, o sacerdote o declara limpo, isto é apostema. Lavará suas vestes e será limpo/*purificado...

*Purificado: Símbolo de que o povo de Deus tem que ser diferente, santo, puro.


Levítico 13; 1-59: As leis acerca da praga da lepra
Falou mais o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo: Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa, na pele de sua carne como praga da lepra, então será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, os sacerdotes. E o sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga parecer mais profunda do que a pele da sua carne, é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o declarará por imundo. Mas, se a mancha na pele de sua carne for branca, e não parecer mais profunda do que a pele, e o pêlo não se tornou branco, então o sacerdote encerrará o que tem a praga por sete dias; E ao sétimo dia o sacerdote o examinará; e eis que, se a praga, ao seu parecer parou, e na pele não se estendeu, então o sacerdote o encerrará por outros sete dias; E o sacerdote ao sétimo dia o examinará outra vez; e eis que, se a praga se recolheu, e na pele não se estendeu, então o sacerdote o declarará por limpo; é uma pústula; e lavará as suas vestes, e será limpo. Mas, se a pústula na pele se estende grandemente, depois que foi mostrado ao sacerdote para a sua purificação, outra vez será mostrado ao sacerdote, E o sacerdote o examinará, e eis que, se a pústula na pele se tem estendido, o sacerdote o declarará por imundo; é lepra. Quando no homem houver praga de lepra, será levado ao sacerdote, E o sacerdote o examinará, e eis que, se há inchação branca na pele, a qual tornou o pêlo em branco, e houver carne viva na inchação, Lepra inveterada é na pele da sua carne; portanto, o sacerdote o declarará por imundo; não o encerrará, porque imundo é. E, se a lepra se espalhar de todo na pele, e a lepra cobrir toda a pele do que tem praga, desde a sua cabeça até aos seus pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, Então o sacerdote examinará, e eis que, se a lepra tem coberto toda a sua carne, então declarará o que tem a praga por limpo; todo se tornou branco; limpo está. Mas no dia em que aparecer nela carne viva será imundo. Vendo, pois, o sacerdote a carne viva, declará-lo-á por imundo; a carne é imunda; é lepra. Ou, tornando a carne viva, e mudando-se em branca, então virá ao sacerdote, E este o examinará, e eis que, se a praga se tornou branca, então o sacerdote declarará limpo o que tem a praga; limpo está. Se também a carne, em cuja pele houver alguma úlcera, sarar, E, em lugar da pústula, vier inchação branca ou mancha lustrosa, tirando a vermelho, mostrar-se-á então ao sacerdote. E o sacerdote examinará, e eis que, se ela parece mais funda do que a pele, e o seu pêlo se tornou branco, o sacerdote o declarará por imundo; é praga da lepra que brotou da pústula. E o sacerdote, vendo-a, e eis que se nela não houver pêlo branco, nem estiver mais funda do que a pele, mas encolhida, então o sacerdote o encerrará por sete dias. Se ela grandemente se estender na pele, o sacerdote o declarará por imundo; praga é. Mas se a mancha parar no seu lugar, não se estendendo, inflamação da pústula é; o sacerdote, pois, o declarará por limpo. Ou, quando na pele da carne houver queimadura de fogo, e no que é sarado da queimadura houver mancha lustrosa, tirando a vermelho ou branco, E o sacerdote vendo-a, e eis que se o pêlo na mancha se tornou branco e ela parece mais funda do que a pele, lepra é, que floresceu pela queimadura; portanto o sacerdote o declarará por imundo; é praga de lepra. Mas, se o sacerdote, vendo-a, e eis que, se na mancha não aparecer pêlo branco, nem estiver mais funda do que a pele, mas recolhida, o sacerdote o encerrará por sete dias. Depois o sacerdote o examinará ao sétimo dia; se grandemente se houver estendido na pele, o sacerdote o declarará por imundo; é praga de lepra. Mas se a mancha parar no seu lugar, e na pele não se estender, mas se recolher, inchação da queimadura é; portanto o sacerdote o declarará por limpo, porque inflamação é da queimadura. E, quando homem ou mulher tiver chaga na cabeça ou na barba, E o sacerdote, examinando a chaga, e eis que, se ela parece mais funda do que a pele, e pêlo amarelo fino há nela, o sacerdote o declarará por imundo; é tinha, é lepra da cabeça ou da barba. Mas, se o sacerdote, havendo examinado a praga da tinha, e eis que, se ela não parece mais funda do que a pele, e se nela não houver pêlo preto, então o sacerdote encerrará o que tem a praga da tinha por sete dias. E o sacerdote examinará a praga ao sétimo dia; e eis que, se a tinha não se tiver estendido, e nela não houver pêlo amarelo, nem a tinha parecer mais funda do que a pele, Então se rapará; mas não rapará a tinha; e o sacerdote segunda vez encerrará o que tem a tinha por sete dias. Depois o sacerdote examinará a tinha ao sétimo dia; e eis que, se a tinha não se houver estendido na pele, e ela não parecer mais funda do que a pele, o sacerdote o declarará por limpo, e lavará as suas vestes, e será limpo. Mas, se a tinha, depois da sua purificação, se houver estendido grandemente na pele, Então o sacerdote o examinará, e eis que, se a tinha se tem estendido na pele, o sacerdote não buscará pêlo amarelo; imundo está. Mas, se a tinha ao seu ver parou, e pêlo preto nela cresceu, a tinha está sã, limpo está; portanto o sacerdote o declarará por limpo. E, quando homem ou mulher tiver manchas lustrosas brancas na pele da sua carne, Então o sacerdote olhará, e eis que, se na pele da sua carne aparecem manchas lustrosas escurecidas, é impigem que floresceu na pele, limpo está. E, quando os cabelos do homem cairem da cabeça, calvo é, mas limpo está. E, se lhe cairem os cabelos na frente da cabeça, meio calvo é; mas limpo está. Porém, se na calva, ou na meia calva, houver praga branca avermelhada, é lepra, florescendo na sua calva ou na sua meia calva. Havendo, pois, o sacerdote examinado, e eis que, se a inchação da praga, na sua calva ou meia calva, está branca, tirando a vermelho, como parece a lepra na pele da carne, Leproso é aquele homem, imundo está; o sacerdote o declarará totalmente por imundo, na sua cabeça tem a praga. Também as vestes do leproso, em quem está a praga, serão rasgadas, e a sua cabeça será descoberta, e cobrirá o lábio superior, e clamará: Imundo, imundo. Todos os dias em que a praga houver nele, será imundo; imundo está, habitará só; a sua habitação será fora do arraial. Quando também em alguma roupa houver praga de lepra, em roupa de lã, ou em roupa de linho, Ou no fio urdido, ou no fio tecido, seja de linho, ou seja de lã, ou em pele, ou em qualquer obra de peles, E a praga na roupa, ou na pele, ou no fio urdido, ou no fio tecido, ou em qualquer coisa de peles aparecer verde ou vermelha, praga de lepra é, por isso se mostrará ao sacerdote, E o sacerdote examinará a praga, e encerrará aquilo que tem a praga por sete dias. Então examinará a praga ao sétimo dia; se a praga se houver estendido na roupa, ou no fio urdido, ou no fio tecido ou na pele, para qualquer obra que for feita da pele, lepra roedora é, imunda está; Por isso se queimará aquela roupa, ou fio urdido, ou fio tecido de lã, ou de linho, ou de qualquer obra de peles, em que houver a praga, porque lepra roedora é; com fogo se queimará. Mas, o sacerdote, vendo, e eis que, se a praga não se estendeu na roupa, ou no fio urdido, ou no tecido, ou em qualquer obra de peles, Então o sacerdote ordenará que se lave aquilo no qual havia a praga, e o encerrará segunda vez por sete dias; E o sacerdote, examinando a praga, depois que for lavada, e eis que se ela não mudou o seu aspecto, nem se estendeu, imundo está, com fogo o queimarás; praga penetrante é, seja por dentro ou por fora. Mas se o sacerdote verificar que a praga se tem recolhido, depois de lavada, então a rasgará da roupa, ou da pele ou do fio urdido ou tecido; E, se ainda aparecer na roupa, ou no fio urdido ou tecido ou em qualquer coisa de peles, lepra brotante é; com fogo queimarás aquilo em que há a praga; Mas a roupa ou fio urdido ou tecido ou qualquer coisa de peles, que lavares, e de que a praga se retirar, se lavará segunda vez, e será limpa. Esta é a lei da praga da lepra na roupa de lã, ou de linho, ou do fio urdido, ou tecido, ou de qualquer coisa de peles, para declará-la limpa, ou para declará-la imunda.


Levítico 14; 1-32: A lei acerca do leproso depois de sarado
Depois falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Esta será a lei do leproso no dia da sua purificação: será levado ao sacerdote, E o sacerdote sairá fora do arraial, e o examinará, e eis que, se a praga da lepra do leproso for sarada, Então o sacerdote ordenará que por aquele que se houver de purificar se tomem duas aves vivas e limpas, e pau de cedro, e carmesim, e hissopo. Mandará também o sacerdote que se degole uma ave num vaso de barro sobre águas vivas, E tomará a ave viva, e o pau de cedro, e o carmesim, e o hissopo, e os molhará, com a ave viva, no sangue da ave que foi degolada sobre as águas correntes. E sobre aquele que há de purificar-se da lepra espargirá sete vezes; então o declarará por limpo, e soltará a ave viva sobre a face do campo. E aquele que tem de purificar-se lavará as suas vestes, e rapará todo o seu pêlo, e se lavará com água; assim será limpo; e depois entrará no arraial, porém, ficará fora da sua tenda por sete dias; E será que ao sétimo dia rapará todo o seu pêlo, a sua cabeça, e a sua barba, e as sobrancelhas; sim, rapará todo o pêlo, e lavará as suas vestes, e lavará a sua carne com água, e será limpo, E ao oitavo dia tomará dois cordeiros sem defeito, e uma cordeira sem defeito, de um ano, e três dízimas de flor de farinha para oferta de alimentos, amassada com azeite, e um logue de azeite; E o sacerdote que faz a purificação apresentará o homem que houver de purificar-se, com aquelas coisas, perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação. E o sacerdote tomará um dos cordeiros, e o oferecerá por expiação da culpa, e o logue de azeite; e os oferecerá por oferta movida perante o SENHOR. Então degolará o cordeiro no lugar em que se degola a oferta da expiação do pecado e o holocausto, no lugar santo; porque quer a oferta da expiação da culpa como a da expiação do pecado é para o sacerdote; coisa santíssima é. E o sacerdote tomará do sangue da expiação da culpa, e o porá sobre a ponta da orelha direita daquele que tem de purificar-se e sobre o dedo polegar da sua mão direita, e no dedo polegar do seu pé direito. Também o sacerdote tomará do logue de azeite, e o derramará na palma da sua própria mão esquerda. Então o sacerdote molhará o seu dedo direito no azeite que está na sua mão esquerda, e daquele azeite com o seu dedo espargirá sete vezes perante o SENHOR; E o restante do azeite, que está na sua mão, o sacerdote porá sobre a ponta da orelha direita daquele que tem de purificar-se, e sobre o dedo polegar da sua mão direita, e sobre o dedo polegar do seu pé direito, em cima do sangue da expiação da culpa; E o restante do azeite que está na mão do sacerdote, o porá sobre a cabeça daquele que tem de purificar-se; assim o sacerdote fará expiação por ele perante o SENHOR. Também o sacerdote fará a expiação do pecado, e fará expiação por aquele que tem de purificar-se da sua imundícia; e depois degolará o holocausto; E o sacerdote oferecerá o holocausto e a oferta de alimentos sobre o altar; assim o sacerdote fará expiação por ele, e será limpo. Porém se for pobre, e em sua mão não houver recursos para tanto, tomará um cordeiro para expiação da culpa em oferta de movimento, para fazer expiação por ele, e a dízima de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de alimentos, e um logue de azeite, E duas rolas, ou dois pombinhos, conforme as suas posses, dos quais um será para expiação do pecado, e o outro para holocausto. E ao oitavo dia da sua purificação os trará ao sacerdote, á porta da tenda da congregação, perante o SENHOR. E o sacerdote tomará o cordeiro da expiação da culpa, e o logue de azeite, e os oferecerá por oferta movida perante o SENHOR. Então degolará o cordeiro da expiação da culpa, e o sacerdote tomará do sangue da expiação da culpa, e o porá sobre a ponta da orelha direita daquele que tem de purificar-se, e sobre o dedo polegar da sua mão direita, e sobre o dedo polegar do seu pé direito. Também o sacerdote derramará do azeite na palma da sua própria mão esquerda. Depois o sacerdote com o seu dedo direito espargirá do azeite que está na sua mão esquerda, sete vezes perante o SENHOR. E o sacerdote porá do azeite que está na sua mão na ponta da orelha direita daquele que tem de purificar-se, e no dedo polegar da sua mão direita, e no dedo polegar do seu pé direito; no lugar do sangue da expiação da culpa. E o que sobejar do azeite que está na mão do sacerdote porá sobre a cabeça daquele que tem de purificar-se, para fazer expiação por ele perante o SENHOR. Depois oferecerá uma das rolas ou um dos pombinhos, conforme suas posses, Sim, conforme as suas posses, será um para expiação do pecado e o outro para holocausto com a oferta de alimentos; e assim o sacerdote fará expiação por aquele que tem de purificar-se perante o SENHOR. Esta é a lei daquele em quem estiver a praga da lepra, cujas posses não lhe permitirem o devido para purificação.


Vemos abaixo alguns exemplos de leprosos que clamaram à Jesus por sua cura:

Marcos 1; 40-42: E aproximou-se dele um leproso que, rogando-lhe, e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me. E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo. E, tendo ele dito isto, logo a lepra desapareceu, e ficou limpo.

Lucas 17; 11-19: E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passou pelo meio de Samaria e da Galiléia; E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe; E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos. E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz; E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano. E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.


Amados, hoje em dia há muitos com Lepra Espiritual. Como assim irmã Erica?

Explico: Têm pessoas que estão enfermas espiritualmente, como o tema de hoje é a Lepra, usarei suas características para exemplificar.

·       A Lepra é transmitida por via respiratória: Portanto, para que não enfermemos espiritualmente aconselho que cuidemos de todos os nossos sentidos (visão, audição, tato, olfato e paladar), os quais são porta de entrada para que o inimigo dissemine seus vermes, vírus e bactérias (pecados) e ele investe muito nisto, nós é que às vezes não tomamos os cuidados necessários para não sermos infectados, isto é a falta de vigilância irmãos.




·       Quando a Lepra se instala ela destrói/cauteriza as extremidades (nossos sentidos), mais o seu alvo são os nossos órgãos vitais (coração, cérebro, pulmão,... /Coração, Alma e Espírito). Quando chega neste estágio a única coisa a se fazer é proteger os órgãos vitais, pois já infeccionou tanto certas áreas, que ficam com cicatrizes e sequelas.

·       Quando alguém começa o tratamento da lepra em um estágio mais avançado, onde as sequelas e cicatrizes já são nítidas (falta de sensibilidade, mãos em garra, ‘mutilações’...), a única coisa que se pode fazer é manter aquelas áreas cauterizadas o mais limpas possível; espiritualmente isso ajudará para que não haja reincidência no pecado. O objetivo do pecado é de nos matar/destruir aos poucos, de tal forma que vamos achar que coisas absurdas são normais. Cuidado, um abismo chama outro abismo!

Mateus 10; 8: Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.


Amados, espero que tenham entendido a linguagem comparativa que tentei usar para fazer alusão deste tema. Cuidemos para que não sejamos contaminados com a lepra ou qualquer outra doença espiritual, cujas nos afastam de Deus.

Isaías 59; 2: Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça.

Mateus 10; 28: E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.

Romanos 6; 23: Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.



Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla

miércoles, 25 de marzo de 2015

04 HC - Deus velará por Ti




1.     Não desanimes, Deus proverá;
Deus velará por ti;
Sob Suas asas te acolherá;
Deus velará por ti.


Refrão
Deus cuidará de ti
No teu viver, no teu sofrer;
Seu olhar te acompanhará;
Deus velará por ti.

2.     Se o coração palpitar de dor,
Deus velará por ti;
Tu já provaste Seu terno amor.
Deus velará por ti.

3.     Nos desalentos, nas provações,
Deus velará por ti;
Lembra-te dEle nas tentações;
Deus velará por ti.

4.     Tudo o que pedes, Ele fará;
Deus velará por ti;
E o que precisas, não negará.
Deus velará por ti.

5.     Como estiveres, não temas, vem!
Deus velará por ti;
Ele te entende e te ama bem!
Deus velará por ti.


Isaías 41; 13: Porque eu, o SENHOR teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo.

Filipenses 4; 19: O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.

Romanos 8; 31 e 32: Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?


Mateus 11; 28: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.




Salmos 68; 19: Bendito seja o Senhor, que de dia em dia nos carrega de benefícios; o Deus que é a nossa salvação.

2 Tessalonicenses 3; 3: Mas fiel é o Senhor, que vos confirmará, e guardará do maligno.

1 Pedro 5; 7: Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.

Jeremias 31; 3: Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí.



Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla

lunes, 16 de marzo de 2015

Poema- Hora última



Nesta hora última
Em que um manto de sombras
Vedou os olhos dos caminheiros
E perdidos sem timoneiros
Vagam mendigando um facho de luz.

Vai, oh semeador de esperanças,
Colher almas para Cristo
Serás bendito entre as nações
Quando as boas novas anunciar
Sê um arauto da seara fecunda
Converte os desalentos em gozo eternal.

Avante cidadão do céu!
Tu és a lâmpada do porvir
Quantos caídos se levantarão
Com os verbos de luz semeados por ti.

Vai! Deixa o amor guiar teus passos
Não precisa bagagem nem nada
Pão não te faltará ao longo da jornada
Cada canto do mundo encontrará pousada
     O dono da seara garante tua viagem.

Luciano Dosanjos



1 João 2; 18: Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora.

Marcos 16; 15: E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.

1 Coríntios 3; 6: Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.


Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla

domingo, 8 de marzo de 2015

Dia Internacional da Mulher:

Poema- SIMPLESMENTE MULHER!

Com a letra ‘’M ”de mãe;
Com responsabilidade suave;
Natureza, Deus a fez feminina.
Delicada, formosa, pura e linda;
É uma flor no jardim de Jesus.


Mulher sábia
Com a sabedoria de Deus,
Com uma palavra pode mudar uma nação.
Pode transformar a guerra em paz.


Mulher símbolo de força
Fé inabalável.


No lar, mulher sal da terra
É o sol que brilha, emitindo luz
Para sua família.
É o sal que dá sabor de mansidão
E domínio próprio para todos.

Mulher protetora
Age como uma leoa para defender seus filhos.
Mas com carinho tem o semblante suave
De um ser celestial.


Que linda criatura!
Com tanta ternura!
É tanta sua meiguice no olhar!
Com doces palavras sabe os tristes alegrar.


Mulher quanta fidelidade!
Nas alturas, nos montes, nas marés altas ou baixas,

Na tempestade, no deserto ou no vale
Ela é fiel ama sem medida.


Mulher guerreira,
Desbrava com doçura, vai sem medo...
Luta pelos injustiçados com candura.
Esquece a maldade da sociedade, luta pela igualdade.

Mulher pura, sem manchas.
É a mulher serva de Deus, que dobra os joelhos
Em oração e adoração ao Senhor.
É a mulher que ama e libera o perdão.
Sou Simplesmente mulher!

Rosa Leme


Provérbios 31; 10-31: Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis. O coração do seu marido está nela confiado; assim ele não necessitará de despojo. Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida. Busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com suas mãos. Como o navio mercante, ela traz de longe o seu pão. Levanta-se, mesmo à noite, para dar de comer aos da casa, e distribuir a tarefa das servas. Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos. Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços. Vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite. Estende as suas mãos ao fuso, e suas mãos pegam na roca. Abre a sua mão ao pobre, e estende as suas mãos ao necessitado. Não teme a neve na sua casa, porque toda a sua família está vestida de escarlata. Faz para si cobertas de tapeçaria; seu vestido é de seda e de púrpura. Seu marido é conhecido nas portas, e assenta-se entre os anciãos da terra. Faz panos de linho fino e vende-os, e entrega cintos aos mercadores. A força e a honra são seu vestido, e se alegrará com o dia futuro. Abre a sua boca com sabedoria, e a lei da beneficência está na sua língua. Está atenta ao andamento da casa, e não come o pão da preguiça. Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva. Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente! Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa sim será louvada. Dai-lhe do fruto das suas mãos, e deixe o seu próprio trabalho louvá-la nas portas.



Feliz Dia da Mulher, para cada uma de nós (meninas, moças ou mulheres), pois hoje é o nosso Dia!



Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla

martes, 3 de marzo de 2015

Poema- Estrelas




Meu Deus, como é maravilhoso sentir em minha vida as Tuas surpresas
Ouvir Tua voz suave e doce como o mel
Olhar para o imenso e extenso céu
E ver da Tua criação, quebrando a escuridão... as estrelas.

Que brilham, reluzindo fortemente
E espalhando-se na imensidão
Juntas numa cortina de luz resplandecente
Por toda noite, a cada noite brilharão.

Meu Deus, pequenas no grandioso céu são elas
Mas com seu brilho, a escuridão não as consome
Conheces, Senhor, a cada uma delas...
Conhece-as pelo nome.

Meu Pai, Criador das estrelas
Que colocou cada uma em seu lugar
Meus olhos ilumina ao vê-las...
E em meu coração reflete: também nos fizeste para brilhar.

Vanessa Paulini


Gênesis 1; 16: E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas.

Salmos 147; 4: Conta o número das estrelas, chama-as a todas pelos seus nomes.


Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla