Motivos para ter criado o Blog:

Mi foto
Eu criei este Blog pra levar a Palavra de Deus a toda criatura. (Marcos 16; 15) Obs.: É por meio deste Blog que eu estou publicando os Estudos que já havia enviado aos meus amigos por e-mail, e aos que não viram todos, aqui terão acesso a eles; pois também foi pelo aumento na demanda de pessoas nos grupos de e-mail que criei o blog. Eu já publiquei os novos, após publicar os anteriores." A Palavra de Deus se renova a cada manhã!", "O céu e a terra passarão, mas as minhas Palavras não hão de passar. - Mateus 24; 35" Um outro motivo pra o blog existir foi por causa de alguns amigos que me incentivaram/estimularam e ajudaram pra que essa idéia se concretizasse e por meio dela, muitas almas sejam alcançadas. Aproveitem este espaço pra conhecer um pouco mais da Palavra de Deus e me ensinar também! Obs.: “Muitas das mensagens que postei fui eu quem “escreveu”, utilizando a Palavra de Deus; e as que não fui eu que “escrevi” completamente ou complementei, procurei citar o nome do autor, e alguns que não coloquei foi por não saber quem é!” Este Blog só existe pra levar a Mensagem do Sofrimento de Jesus na Cruz, que foi por Amor a mim e a você! E não para qualquer outro propósito!

"Mas importa que o Evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações."

Marcos 13;10


lunes, 30 de enero de 2017

17º Congresso de Adolescentes IEADPE

#VIVACOMOSERVO

Amados, entre os dias 26-29/01/2017 ocorreu o 17º Congresso de Adolescentes da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – PE, como sempre a Rede Brasil de Comunicação estava a postos para que pessoas em outros estados e outros países possam participar e serem impactadas, mesmo a distância.

Este é um momento primordial no final das férias escolares para que os adolescentes reafirmem o seu compromisso com Deus, bem como, Deus também faz promessas e os renova Espiritualmente (Batismos, Renovos, Dons,...); Eles podem sentir a Sua Presença e são vivificados no Senhor.

Tema: Vivendo como servos de Deus!

1 Pedro 2; 16: Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus.



1° Culto à noite (Abertura): O preletor foi o Evangelista Natanael Balé

Daniel 6; 4 e 5: Então os presidentes e os príncipes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa. Então estes homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, se não a acharmos contra ele na lei do seu Deus.

O culto foi com base na vida de Daniel, cujo foi um exemplo de santidade, que esta geração deve seguir.

“Só vão escutar o toque da trombeta os puros, os leais e os santos.”


O Espírito Santo inundou aos presentes neste culto e chamou todos a um compromisso maior de lealdade e submissão à Sua vontade!



2° Culto à noite: O preletor foi o Evangelista Lourival de Oliveira

Gênesis 26; 1-6, 15-19, 22-25: E havia fome na terra, além da primeira fome, que foi nos dias de Abraão; por isso foi Isaque a Abimeleque, rei dos filisteus, em Gerar. E apareceu-lhe o Senhor, e disse: Não desças ao Egito; habita na terra que eu te disser; Peregrina nesta terra, e serei contigo, e te abençoarei; porque a ti e à tua descendência darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que tenho jurado a Abraão teu pai; E multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e darei à tua descendência todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra; Porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos, e as minhas leis. Assim habitou Isaque em Gerar. E todos os poços, que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de seu pai Abraão, os filisteus entulharam e encheram de terra. Disse também Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós; porque muito mais poderoso te tens feito do que nós. Então Isaque partiu dali e fez o seu acampamento no vale de Gerar, e habitou lá. E tornou Isaque e cavou os poços de água que cavaram nos dias de Abraão seu pai, e que os filisteus entulharam depois da morte de Abraão, e chamou-os pelos nomes que os chamara seu pai. Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale, e acharam ali um poço de águas vivas. E partiu dali, e cavou outro poço, e não porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Reobote, e disse: Porque agora nos alargou o Senhor, e crescemos nesta terra. Depois subiu dali a Berseba. E apareceu-lhe o Senhor naquela mesma noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua descendência por amor de Abraão meu servo. Então edificou ali um altar, e invocou o nome do Senhor, e armou ali a sua tenda; e os servos de Isaque cavaram ali um poço.

O culto da segunda noite foi baseado na vida de Isaque e a sua experiência com Deus, cujas são pessoais e únicas.

Neste texto, Isaque estava passando por um momento de crise em Gerar, a terra estava seca, e ele havia perdido seu pai (Abraão). Mas foi em Gerar a primeira vez que Deus falou diretamente com ele.

“Me obedeça como seu pai me obedeceu; eu quero ser teu amigo, assim como fui de seu pai.”


Também foi falado sobre José, o qual foi vendido por 25 ciclos de prata pelos seus irmãos, serviu a Potifar, foi para a prisão e se tronou governador do Egito, enriquecendo ao Faraó, o qual mesmo nos sete anos de fome não o venderia e diria que ele não tinha preço.

“Pode ser que agora não deem nada por você, mas Deus está investindo alto em ti e chegará o tempo em que tu não terás mais preço. Mas enquanto isso vai cavar o poço, vai buscar comunhão com Deus. Todo ano Deus avança em alguma coisa com você. Ontem o pregador disse que este era o ano de ser leal. Mas, além disso, hoje é o ano de você também cavar o poço.”



3° Culto à noite: O preletor foi o Evangelista Salatiel Lima

Salmos 89; 20: Achei a Davi, meu servo; com santo óleo o ungi.

Na terceira noite o culto foi baseado na vida de Davi e suas experiências com Deus.

“O sucesso de Davi pode ser atribuído ao seu relacionamento íntimo com o Senhor.”

Atos 13; 22 b: Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade.

“Antes de vocês saírem para enfrentar Golias, vocês precisam construir sua história de comunhão com o Senhor; não pule etapas, não pegue atalhos...”

Todo o direcionamento foi para a preparação de Davi, para o propósito que Deus tinha na vida dele, levando em conta todas as imperfeições que tiveram de ser moldadas.

“Tem adolescente que está entendendo a exigência de Deus durante estes dias. A tesoura de Jeová está podando ramos que estão ligados na videira hoje, porque depois que Ele te podar, que tua vida ficar onde Deus quer que fique, processo de santificação progredindo, tudo estiver no seu devido lugar; Deus quer fazer contigo como fez com Isaías, se revelar e te mostrar como vai ser teu futuro, como vai ser teu casamento, como vai ser tua vida. Deus quer que você construa um relacionamento íntimo com Ele.”



4° Culto (Manhã Missionária): O preletor foi o Pastor Waldemir Farias

Josué 1; 1-2 e 7; 10: E sucedeu depois da morte de Moisés, servo do SENHOR, que o SENHOR falou a Josué, filho de Num, servo de Moisés, dizendo: Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel. Então disse o Senhor a Josué: Levanta-te; por que estás prostrado assim sobre o teu rosto?

A pregação na Manhã Missionária foi baseada na vida de Josué e em três lições que ele precisou aprender para conquistar a terra prometida:

1.     Submeter-se a influência de Moisés;
“Ou você permite a influência ou você não conquista a terra”

Números 13; 16: Estes são os nomes dos homens que Moisés enviou a espiar aquela terra; e a Oséias, filho de Num, Moisés chamou Josué.

2.     Nunca permita que haja relaxamento em sua vida espiritual porque estamos em guerra;

3.     O Senhor jamais perde o domínio das situações. Tudo está sob o seu comando.

“Recebe a liderança de Moisés, jovem. O Senhor vai te usar de maneira extraordinária. Nesta manhã, o Espírito Santo vai te alistar para a guerra, porque Ele precisa de você na guerra, Ele precisa de você para a obra. Desperta!”



5° Culto à noite (Encerramento): O preletor foi o Evangelista Marcelo Telles

1 Pedro 2; 15 e 16: Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo bem, tapeis a boca à ignorância dos homens insensatos; Como livres, e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus.

A pregação no encerramento foi baseado no tema do Congresso, cuja pregação enfatizou as características dos servos de Deus, as diferenças de quem é um verdadeiro servo do Senhor e as recompensas reservadas por Jesus para aqueles que O servem.

Características dos servos de Deus:

·       Fidelidade
Números 12; 7: Não é assim com o meu servo Moisés que é fiel em toda a minha casa.

·       Humildade
Marcos 1; 7: E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de, abaixando-me, desatar a correia das suas alparcas.

·       Submissão
Lucas 1; 38: Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.

·       Perseverança
Daniel 6; 16: Então o rei ordenou que trouxessem a Daniel, e lançaram-no na cova dos leões. E, falando o rei, disse a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará.

·       Obediência
Mateus 7; 21: Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.

·       Dedicação e Amor
Mateus 6; 24: Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.


“Ele nos comprou independente da cor da nossa pele, da raça, do sexo (macho ou fêmea). Ninguém nasce coisa!”

1 Coríntios 6; 19 e 20: Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.

1 Pedro 1; 17-19: E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado.

Êxodo 19; 5: Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha.

1 Coríntios 1; 30: Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção.


“Deus vai levantar uma geração inflamada de servos, capazes de testemunhar com eloquência e simplicidade a Palavra.”


“Apesar de sermos servos, somos tratados como filhos e amigos!”

Efésios 5; 1: Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados.

João 15; 15: Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.


“Feliz da família que tem um servo de Deus dentro de casa.”

Gênesis 26; 24: E apareceu-lhe o Senhor naquela mesma noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua descendência por amor de Abraão meu servo.

1 Samuel 1; 19: E levantaram-se de madrugada, e adoraram perante o Senhor, e voltaram, e chegaram à sua casa, em Ramá, e Elcana conheceu a Ana sua mulher, e o Senhor se lembrou dela.


“Deus abençoa, engrandece, honra um servo fiel; supre, livra (dos perigos e nos perigos). Deus dá limite ao mal, você só vai até aqui, viu!”

2 Samuel 7; 8: Agora, pois, assim dirás ao meu servo Davi: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eu te tomei da malhada, de detrás das ovelhas, para que fosses o soberano sobre o meu povo, sobre Israel.

1 Crônicas 17; 27: Agora, pois, foste servido abençoar a casa de teu servo, para que permaneça para sempre diante de ti: porque tu, Senhor, a abençoaste, e ficará abençoada para sempre.

Jó 42; 7: Sucedeu que, acabando o Senhor de falar a Jó aquelas palavras, o Senhor disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti, e contra os teus dois amigos, porque não falastes de mim o que era reto, como o meu servo Jó.



Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente, 
Erica Carla

domingo, 22 de enero de 2017

Poema de minha autoria, datado em 19/01/2017: A Verdade da Eternidade

Poema- A Verdade da Eternidade




Não é nenhuma novidade,
Que para nossa Felicidade,
Jesus foi preparar nossa morada na Eternidade;

Para isto não tem idade,
Pode ser criança, idoso ou mocidade;

Se você tiver vontade,
É só pedir perdão ao Senhor com sinceridade,
E confessar perante a sociedade,
Que Jesus é o caminho, a vida e a verdade!

Pois foi Ele quem morreu por nós, por misericórdia e piedade,
Para provar o seu Amor e sua Fidelidade para com toda humanidade.

Erica Carla


João 14; 1-6: Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Romanos 10; 9 e 10: A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.

Mateus 10; 32: Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.

Salmos 103; 4: Que redime a tua vida da perdição; que te coroa de benignidade e de misericórdia.

Salmos 69; 16: Ouve-me, Senhor, pois boa é a tua misericórdia. Olha para mim segundo a tua muitíssima piedade.

Salmos 51; 1: Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. 

Lamentações 3; 22-27: As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto esperarei nele. Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca. Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do Senhor. Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade.



Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla

martes, 17 de enero de 2017

Pérgamo- Uma das 7 Igrejas da Ásia




Por ocasião do ProjeFérias, cujo tema são as Cartas às Sete Igrejas da Ásia, farei uma breve introdução sobre elas e falarei um pouco mais apenas de uma, que é Pérgamo, a que leva o nome do meu grupo.

O Livro do Apocalipse é o Livro das Revelações de Deus, das coisas que “foram”, “as que são” e “as que vão acontecer”. Ele é o único livro que possui bem-aventuranças para quem , ouve e guarda a Palavra de Deus.

Apocalipses 1; 1-3, 19: Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo; O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto. Bem-aventurado aquele que , e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer.


2 Timóteo 3; 16 e 17: Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.

Salmos 1; 1 e 2: Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.

Romanos 10; 17: De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.

Salmos 119; 11: Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.



Objetivos do Livro do Apocalipse:

1.     Corrigir as distorções doutrinárias e desvios de conduta das igrejas da Ásia Menor. O desejo do Senhor é que cada um de nós nos mantenhamos na verdade da Sua Palavra.

Mateus 22; 29: Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.

João 8; 31: Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos.

João 14; 17: O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.

João 17; 17: Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.

2 Tessalonicenses 2; 5: Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?



2.     Consolar os santos. Os salvos eram duramente perseguidos pelos governos, tradições e maldades dos homens. Jesus veio consolar as Igrejas através das revelações do apóstolo João.

Apocalipses 2; 7, 11, 17 e 26: Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe. E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações.

Apocalipses 3; 5, 12 e 21: O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome. Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.



3.     Mostrar aos salvos o que haveria de acontecer nos últimos dias. Deus não deixa ninguém enganado a respeito do que vai acontecer, muito menos o Seu povo. Ele nos guia em toda a verdade e aos propósitos que Ele estabeleceu para Sua Igreja.

Amós 3; 7: Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.

Efésios 3; 5: O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas.

Romanos 8; 14: Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus.


Efésios 5; 27: Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.

2 Timóteo 1; 9: Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos.



4.     Alertar os cristãos sobre a vinda do Senhor. O livro do Apocalipse não limita a revelar o futuro, mas ensina os cristãos a esperar de maneira correta o retorno de nosso Senhor Jesus Cristo.

João 14; 1-3: Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.



Neste Livro há visões, imagens, símbolos e figuras do Apocalipse; cujos nos revelam os conflitos do povo de Deus e a sua vitória final sobre o império das trevas. Este conclui mostrando os redimidos desfrutando das eternas bem-aventuranças reservadas aos salvos em Cristo. As revelações de Deus são um consolo para aquele que guarda a sua fidelidade, pois se formos fiéis até o fim, não há o quê temer, pois o Senhor nos honrará e nos galardoará com a vida eterna.

Romanos 8; 18: Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.

Mateus 24; 13: Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.

Daniel 12; 13: Tu, porém, vai até ao fim; porque descansarás, e te levantarás na tua herança, no fim dos dias.
 
Apocalipses 2; 10 b: Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.



Nele vemos uma ênfase no número 7, número este que remete a perfeição/completude, o qual é citado diversas vezes, uma vez que há uma simbologia sobre este número desde Gênesis, ou seja, desde a criação, pois o Senhor concluiu a sua Criação/Obra e descansou no sétimo dia.

Gênesis 2; 1-3: Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados. E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera.



As 7 Cartas foram destinadas a Igrejas reais; a mensagem das cartas também pode ser aplicada a Igrejas de todas as eras, Observando:

·        O que Jesus aprova;
·        O que Jesus condena;
·        O perigo (castigo) da desobediência;
·        A recompensa para os vencedores.

Elas também podem ser classificadas como Igrejas proféticas.

Apocalipses 1; 4, 5 e 11: João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, Que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro; e o que vês, escreve-o num livro, e envia-o às sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a Laodicéia.



3 Ameaças às 7 Igrejas da Ásia e as atuais:

·        Esfriamento: Ameaça Individual
·        Perseguição: Ameaça Externa
·        Falsos mestres: Ameaça Interna





Pois bem, vamos nos aprofundar um pouco mais na Igreja em Pérgamo!

Para nos mantermos santos e fiéis ao Senhor não é fácil, menos ainda em uma sociedade idólatra. Porém, os cristãos de Pérgamo eram fiéis e não negaram a fé em Jesus, mesmo passando por muitas perseguições, Eles demonstravam uma verdadeira fé, no entanto, lhes faltavam discernimento Bíblico e Espiritual para combater os falsos ensinos. Havia um grupo de pessoas que tolerava os falsos mestres e as práticas contrárias à Palavra de Deus. O povo do Senhor se corrompia ao aceitar as doutrinas de Balaão. Observemos este exemplo para buscarmos cada vez mais o conhecimento da Palavra do Senhor, cujo é necessário para podermos viver e ensinar a sã doutrina.

Apocalipses 2; 12-17: E ao anjo da igreja que está em Pérgamo escreve: Isto diz aquele que tem a espada aguda de dois fios: Conheço as tuas obras, e onde habitas, que é onde está o trono de Satanás; e reténs o meu nome, e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita. Mas algumas poucas coisas tenho contra ti, porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e fornicassem. Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio. Arrepende-te, pois, quando não em breve virei a ti, e contra eles batalharei com a espada da minha boca. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.
  

1)    Trono de satanás: Isso pode significar um lugar onde a influência de satanás e o mal estavam sobremaneira multiplicados, pois Pérgamo era um centro de adoração ao imperador romano, com templos erguidos para o mesmo, para Atena, para Dionísio, e para Esculápio (“deus da cura”, identificado por uma serpente), bem como, ergueram um grande altar a júpiter (zeus); a idolatria, o paganismo e as práticas da imoralidade influenciavam os seus cidadãos.

a)     Pérgamo, a cidade dos livros e da ignorância espiritual: Era situada às margens do rio Caícos e distava trinta quilômetros do Mar Egeu, pertencia ao território da Ásia Menor, que hoje é a Turquia. Ela era a metrópole mais importante da Mísia. Pérgamo era uma cidade antiga e rica que ficou famosa por sua biblioteca, cujo acervo chegou a ser estimado em duzentos mil volumes, que sobrepujava Éfeso e Esmirna, sendo considerada a segunda maior do mundo naquela época, superada apenas pela de Alexandria. Ela começou a se destacar depois da morte de Alexandre Magno, em 333 a.C.. Chegou a ser capital da província da Ásia por cerca de 400 anos, e capital do reino da Selêucida até 133 a.C., quando foi anexada ao Império Romano.

Era tão ligada aos livros que seu nome tornou-se sinônimo do *Pergaminho. É intrigante ver uma cidade tão rica em livros e ao mesmo tempo tão pobre no conhecimento do verdadeiro Deus! O que lhe faltava eram a sabedoria e o conhecimento da Palavra de Deus (Biblioteca mais Importante de todas!).

*Pergaminho (do grego pergaméne e do latim pergamina ou pergamena), é o nome dado a uma pele de animal, geralmente de cabra, carneiro, cordeiro ou ovelha, preparada para nela se escrever. Designa ainda o documento escrito nesse meio. O seu nome lembra o da cidade grega de Pérgamo, na Ásia Menor, onde se acredita possa ter se originado ou distribuído.


Provérbios 1; 7: O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.

Oséias 6; 3 a: Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor.



b)    A Igreja em Pérgamo: há uma grande probabilidade que a Igreja de Cristo tenha sido implantada naquela cidade no período em que Paulo estava em Éfeso. Amados, se recordam de que já falei neste Blog que o inimigo de nossas almas se utiliza de várias ferramentas para nos destruir?! Pois bem, quando não precisa de ataque implacável (por estar frio e/ou morno na fé), ele se infiltra para contaminar a Igreja e extingui-la; e foi isto que aconteceu com Pérgamo, pois satanás tenta casar o mundo com a Igreja.

Atos 20; 31: Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.



2)    As Doutrinas Errôneas na Igreja em Pérgamo

a.     A doutrina de Balaão: Balaão foi um falso profeta gentil, filho de Beor, que vendeu seus serviços a um rei pagão, e que o aconselhava a seduzir Israel a comprometer sua fé por meio de idolatria e imoralidade. A doutrina de Balaão refere-se, portanto, a mestres e pregadores corruptos que, em Pérgamo, levavam suas congregações à transigência fatal com a imoralidade, o mundanismo e as falsas ideologias; tudo por amor à promoção pessoal ou vantagem financeira. Segundo parece, a igreja em Pérgamo tinha mestres que ensinavam ser a fé salvífica em Cristo compatível com a prática da imoralidade, ou seja, esta falsa doutrina ensinava que a comunhão ou o relacionamento com os pagãos não traziam nenhum mal, insinuando que a maneira de viver do homem não desfaz o concerto com Deus. Este ensino eliminava a linha divisória entre a Igreja e o paganismo, levando os crentes a deixarem o “caminho direito”. O Espírito Santo chamou de doutrina de Balaão estes ensinos porque eram semelhantes aos conselhos dados pelo profeta à nação de Israel, que levou o povo do Senhor à prática da idolatria e da prostituição.


Números 24; 14: Agora, pois, eis que me vou ao meu povo; vem, avisar-te-ei do que este povo fará ao teu povo nos últimos dias.


Números 22; 5 e 7: Este enviou mensageiros a Balaão, filho de Beor, a Petor, que está junto ao rio, na terra dos filhos do seu povo, a chamá-lo, dizendo: Eis que um povo saiu do Egito; eis que cobre a face da terra, e está parado defronte de mim. Então foram-se os anciãos dos moabitas e os anciãos dos midianitas com o preço dos encantamentos nas suas mãos; e chegaram a Balaão, e disseram-lhe as palavras de Balaque.


Números 25; 1-3: E Israel deteve-se em Sitim e o povo começou a prostituir-se com as filhas dos moabitas. Elas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu, e inclinou-se aos seus deuses. Juntando-se, pois, Israel a Baal-peor, a ira do Senhor se acendeu contra Israel.

Inclinou-se aos seus deuses: Tendo Balaão fracassado na sua tentativa de afastar do Senhor os israelitas, aconselhou os moabitas a tentar separar os israelitas do seu Deus, seduzindo-os à imoralidade e ao culto sensual dos falsos deuses dos moabitas. Como castigo, Balaão foi morto à espada.


Números 31; 16: Eis que estas foram as que, por conselho de Balaão, deram ocasião aos filhos de Israel de transgredir contra o Senhor no caso de Peor; por isso houve aquela praga entre a congregação do Senhor.

Judas 1; 11: Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.


2 Pedro 2; 15: Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça.

Caminho de Balaão: Trata-se do amor às honrarias pessoais e aos ganhos materiais, às expensas do povo de Deus. Pedro enfatiza que a imoralidade sexual, o amor às honrarias e a cobiça por dinheiro, caracterizam esses falsos mestres e pregadores.




Deus exorta para que mesmo sem intenção, o crente não induza outros a pecar/perecer; busquemos sempre fugir da aparência do mal:

1 Tessalonicenses 5; 22: Abstende-vos de toda a aparência do mal.

Atos 15; 29: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.

1 Coríntios 6; 13: Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a fornicação, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo.

1 Coríntios 8; 9-11: Mas vede que essa liberdade não seja de alguma maneira escândalo para os fracos. Porque, se alguém te vir a ti, que tens ciência, sentado à mesa no templo dos ídolos, não será a consciência do que é fraco induzida a comer das coisas sacrificadas aos ídolos? E pela tua ciência perecerá o irmão fraco, pelo qual Cristo morreu.

1 Coríntios 10; 19, 29-33: Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Digo, porém, a consciência, não a tua, mas a do outro. Pois por que há de a minha liberdade ser julgada pela consciência de outrem? E, se eu com graça participo, por que sou blasfemado naquilo por que dou graças? Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus. Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus. Como também eu em tudo agrado a todos, não buscando o meu próprio proveito, mas o de muitos, para que assim se possam salvar.



b.     A doutrina dos nicolaítas: Segundo a tradição, foi originada em Nicolau, que se desviou do verdadeiro caminho, ensinando que não se fazia necessário obedecer às proibições formuladas pelo Concílio de Jerusalém. Conforme ele pensava: “a força da graça de Deus não permitiria os homens dEle se afastar!” Uma versão parecida como a atual máxima “uma vez salvo, salvo para sempre”. Este ensino permite, como a doutrina de Balaão, a convivência pacífica com o pecado, sem a necessidade da obediência de normas ou padrões de conduta, um verdadeiro antagonismo em relação aos ensinos da Palavra de Deus.

Atos 15; 6, 22-29: Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto. Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, com toda a igreja, eleger homens dentre eles e enviá-los com Paulo e Barnabé a Antioquia, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens distintos entre os irmãos. E por intermédio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos, e os anciãos e os irmãos, aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, e Síria e Cilícia, saúde. Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós vos perturbaram com palavras, e transtornaram as vossas almas, dizendo que deveis circuncidar-vos e guardar a lei, não lhes tendo nós dado mandamento, Pareceu-nos bem, reunidos concordemente, eleger alguns homens e enviá-los com os nossos amados Barnabé e Paulo, Homens que já expuseram as suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais por palavra vos anunciarão também as mesmas coisas. Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.


2 Coríntios 6; 14-18: Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.


O leitor deve observar que na igreja de Éfeso, o Senhor JESUS aborrecia “as obras dos nicolaítas”, e aqui na igreja de Pérgamo, ele aborrece a sua “doutrina”. Alguém observa: “o mal sempre se alastra em escala crescente, “um abismo chama outro abismo”: diz o Salmista na poesia”; o que era “doutrina” (ensino) em Pérgamo, ao mesmo tempo se tornara “obras” (práticas) em Éfeso. Já encontramos os “nicolaítas” em Éfeso. Em Pérgamo o mal tinha crescido. Já era “doutrina” presente e sustentada (na igreja). Essa doutrina é semelhante à de Balaão, conduzindo a um rebaixamento do padrão moral. A acomodação da igreja com o mundanismo hoje, que amortece a sensibilidade moral e doutrinária de tantas igrejas, teve, pois, sua repreensão na igreja de Pérgamo, pois é tanto presente, como escatológica.

Salmos 42; 7: Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim.

Eclesiastes 3; 15: O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou.


Alguns estudiosos veem no nome hebreu de Balaão um equivalente no grego Nikolaos, identificando os balaamitas como os nicolaítas do versículo 15. Entretanto, pelo contexto parecem ser dois grupos diferentes. Pode ser que os nicolaítas encorajassem o mesmo tipo de desregramento desenfreado que os balaamitas, mas sem envolver idolatria. É claro que ambos os grupos possuíam perspectivas erradas acerca do amor e da liberdade do cristão.



3)    Contra eles batalharei: Jesus se oporá a qualquer pessoa que, na sua Igreja, favorecer uma atitude tolerante para com o pecado. Ele promete que batalhará contra os crentes mundanos, caso não se arrependam.

1 Coríntios 5; 2: Estais ensoberbecidos, e nem ao menos vos entristecestes por não ter sido dentre vós tirado quem cometeu tal ação.

Gálatas 5; 21: Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.


Apocalipses 2;6: Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.

Odeias/Aborreces as obras dos nicolaítas: Os nicolaítas eram certamente adeptos do ensino de Balaão, que a imoralidade sexual não afeta nossa salvação em Cristo. O NT declara o contrário; tais pessoas não herdarão o reino de Deus. Deus abomina o ensino herético que diz podermos ser salvos e, ao mesmo tempo, viver na devassidão. Repelir aquilo que Deus abomina é característica principal de quem é leal a Cristo.

1 Coríntios 6; 9 e 10: Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.


Salmos 139; 21: Não odeio eu, ó Senhor, aqueles que te odeiam, e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti?

Provérbios 8; 13: O temor do Senhor é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio.


João 3; 19: E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.

Amaram mais as trevas do que a luz: Uma característica fundamental dos ímpios é que eles ama às trevas, seu prazer está no pecado e na imoralidade. O Cristão verdadeiro, ao contrário, ama a justiça e aborrece a iniquidade, e se entristece quando prevalecem as ações perversas dos ímpios. Não tem prazer nos passatempos sensuais, nem na prática da conduta pecaminosa, tão abertamente manifesta na sociedade atual.

Romanos 1; 18-22, 29-32: Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. Estando cheios de toda a iniquidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

2 Timóteo 3; 2-5: Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.

Filipenses 3; 19: Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.

2 Pedro 2; 12-15: Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção, Recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco; Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição; Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça.



Aos que não se arrependerem, Deus os julgará e os aniquilará com o sopro da sua boca, de cuja boca sai uma espada aguda de dois fios:

Isaías 11; 4: Mas julgará com justiça aos pobres, e repreenderá com equidade aos mansos da terra; e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio.

2 Tessalonicenses 2; 8: E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda.

Apocalipses 1; 16: E Ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece.

Apocalipses 19; 15 e 21: E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e Ele as regerá com vara de ferro; e Ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso. E os demais foram mortos com a espada que saía da boca do que estava assentado sobre o cavalo, e todas as aves se fartaram das suas carnes.



Aqui vemos irmãos que não tinham prazer no pecado:

Hebreus 1; 9: Amaste a justiça e odiaste a iniquidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria mais do que a teus companheiros.

1 Coríntios 13; 6: Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade.

Salmos 97; 10: Vós, que amais ao Senhor, odiai o mal. Ele guarda as almas dos seus santos; ele os livra das mãos dos ímpios.

Romanos 12; 9: O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem.


2 Pedro 2; 8: Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, por isso via e ouvia sobre as suas obras injustas.

Afligia... a sua alma justa: Uma característica principal do homem de Deus é que ele ama a justiça e detesta a iniquidade. Sua alma se angustia e se aflige pelo pecado, imoralidade e impiedade reinantes no mundo.

Atos 17; 16: E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se comovia em si mesmo, vendo a cidade tão entregue à idolatria.



4)    O Caminho da Vitória sobre o Erro

                   i.            Arrependimento: arrependimento significa uma nova tomada de posição diante de erros cometidos, pedir perdão e evitar cometê-los novamente. É preciso andar por novos caminhos diante de Deus, para que possamos experimentar Sua real presença.

Isaías 30; 21: E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.


Observemos que em vários momentos Deus dá oportunidades para que os pecadores se arrependam e se voltem para os seus braços, braços de PAI. O Senhor não tem prazer em punir ou ver o ímpio perecer, Ele veio para dar vida! Porém ao mesmo tempo em que Ele está pronto para receber com amor e misericórdia, há aqueles que o rejeitam e escolhem pagar o preço de não ter a sua Divina proteção.

Ezequiel 33; 11: Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel?


Mateus 10; 32 e 33: Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus.

Salmos 81; 11 e 12: Mas o meu povo não quis ouvir a minha voz, e Israel não me quis. Portanto eu os entreguei aos desejos dos seus corações, e andaram nos seus próprios conselhos.


Esclarecendo que Deus aborrece a prática do pecado e não ao pecador; e ao que se arrepende, confessa e deixa alcançará misericórdia!

Salmos 32; 5: Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado.

Provérbios 28; 13: O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.

Romanos 10; 10: Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.



                 ii.            Ouvir a voz do Espírito Santo: Devemos prestar atenção às advertências do Espírito Santo. Ele continua a falar às sete igrejas da Ásia, nos ordena a vencer o pecado no mundo e nos proíbe tolerar a imoralidade em nosso meio. Se não formos vitoriosos nessa área crítica, seremos privados da presença de Deus e do poder do Espírito Santo, tornando-nos inimigos do reino de Deus. Se, por outro lado, vencermos, receberemos o maná escondido da vida espiritual e uma *pedra branca, que significa o triunfo da nossa fé sobre tudo quanto procura destruir nossa devoção a Cristo.

Tiago 4; 4: Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.

João 15; 14: Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. 


*Pedra Branca
 
Apocalipses 2; 17: Ao vencedor [...] lhe darei uma pedra branca, e sobre essa pedra escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.
 
O livro do Apocalipse foi escrito em símbolos que falam de encorajamento para o povo de DEUS de todos os lugares, em todas as épocas. O versículo acima apresenta um desses símbolos: "uma pedra branca". A expressão "pedra branca" está no contexto da carta enviada, da parte de JESUS CRISTO a igreja em Pérgamo, por intermédio de João. No final dessa carta há uma promessa ao vencedor: "(Eu) lhe darei uma pedra branca, e sobre essa pedra escrito um nome novo." Apesar de essa igreja ter passado pelo processo de paganização a partir do fim do primeiro século, DEUS ainda reconhecia nela alguma coisa boa. Alguns estudiosos vêem na expressão "pedra branca", uma alusão ao que acontecia em Pérgamo, quando os juízes, ao darem a sentença no julgamento de um acusado, lançavam sobre a mesa uma pedrinha branca, se o acusado fosse considerado inocente, ou uma pedrinha preta, se fosse considerado culpado. A "pedra branca" pode representar que ao crente é prometido o perdão que lhe dará direito à salvação por meio dos méritos de CRISTO, o justo Juiz, uma vez que a cor branca simboliza o manto de Sua justiça, com Sua pureza e bondade. Então, JESUS joga sobre a mesa do julgamento divino a "pedrinha branca", e, pelos Seus méritos, absolve o pecador arrependido. O "novo nome" do vencedor, impresso na "pedra branca", pode ser uma alusão ao seu novo caráter dado por DEUS por meio dos méritos de CRISTO. O fato de esse "novo nome" ser conhecido apenas pelo que o recebe, pode significar que cada crente tem sua individualidade e que as lutas e vitórias de sua vida cristã, como Jacó ao lado do Jaboque, são individuais e não coletivas, assim como a salvação.
 
Você gostaria de saber qual será seu novo nome?
Torne-se um vencedor! Mas até lá, continue lutando junto com CRISTO até que chegue o momento em que, à semelhança de Jacó, você receberá um novo nome cujo significado será "vencedor".



No livro do Apocalipse o Senhor JESUS tem 7 promessas apenas para os vencedores salvos, ou seja, aquele que permaneceu fiel a DEUS e a sua Palavra até o fim de sua caminhada na terra, grandiosas bênçãos que só os vencedores herdarão.

Mateus 10; 22 b: mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.
 
 
 Promessa: Vida Eterna
 
Apocalipses 2; 7 b: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de DEUS.
 
Obs.: A árvore da vida foi criada por DEUS e colocada no jardim do Éden para que Adão comesse e vivesse eternamente, mas por causa da sua falha, eles foram expulsos do jardim e DEUS pôs querubins para guardar a árvore da vida.

Gênesis 3; 22 b e 23: ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente. O SENHOR DEUS, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado.
 
Só os salvos terão privilégios de comer da árvore da vida e viver eternamente.
 
 
 Promessa: Não sofrer o dano da segunda morte (lago de fogo)
 
Apocalipses 2; 11 b: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.

Apocalipses 20; 14: E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.

Sabemos biblicamente que para a pessoa ter seu nome escrito no livro da vida é necessário que ela se arrependa dos seus pecados e confesse que só JESUS é o Senhor da sua vida e passar a servi-lo.

Romanos 10; 9 e 10: A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor JESUS, e em teu coração creres que DEUS o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.
 
 
 Promessa: Novo nome
 
Apocalipses 2; 17 b: Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.
 
Grande benção é está 3ª promessa, comeremos do maná escondido e receberemos uma pedra branca e nesta pedra um novo nome. Que maravilhas são as bênçãos futuras.
 
Filipenses 1; 21: Porque para mim o viver é CRISTO, e o morrer é ganho.
 
 
 Promessa: Julgar as nações
 
Apocalipses 2; 26 e 27: E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações, E com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai.

Grande e poderosa é está benção. Julgaremos aqueles que foram infiéis a DEUS e à sua Palavra. Os quais amaram a injustiça e chamaram o mal de bem e o bem de mal.
 
 
 Promessa: Vestes brancas, não riscar o nome do livro da vida e ter o nome confessado diante de DEUS e dos seus anjos
 
Apocalipses 3; 5 e 6: O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.

Seremos vestidos com vestes brancas cujo próprio DEUS é o artífice. E estaremos com o nome intacto no livro da vida (aos que permanecerem fiéis até o fim) e o nosso nome confessado diante de DEUS e dos seus anjos.
 
 
 Promessa: Uma coluna no templo de DEUS, com o nome de DEUS e o nome da cidade: a nova Jerusalém e o seu novo nome.
 
Apocalipses 3; 12: A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu DEUS, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu DEUS, e o nome da cidade do meu DEUS, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu DEUS, e também o meu novo nome.

Aleluia!!!
 
 
 Promessa: Assentar com JESUS no seu trono
 
Apocalipses 3; 21: Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.

 
Temos alguns textos bíblicos que falam de assentar-se com Cristo em seu trono:
 
Mateus 19; 28: E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel.
 
 
Efésios 2; 6: E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus.
 
 
Toda Glória seja ao Rei dos reis e Senhor dos senhores!



Como podemos caracterizar a Igreja de Pérgamo?

Interpretação Histórica: Imperial
Período da Igreja: Licenciosa
Significado: Exaltação
Característica: Alianças Mundanas
Exortação: Por prender-se a falsas doutrinas, Deus exorta ao Arrependimento!
Promessas: Maná Escondido e Novo Nome
Como Jesus se apresenta: Aquele que tem a Espada aguda de dois fios



Amados, não devemos ser tolerantes, transigentes e permissivos como os crentes de Pérgamo, pois isto é banalizar o que não é banal, é ser conivente com o pecado, cuja consequência é cauterizar a mente, caminho este que nos levará a ruína Espiritual. Mente cauterizada é o oposto da Mente de Cristo, então mantenhamos a nossa fé viva e não permitamos que o mundo nos contamine como Igreja de Cristo que somos! Nenhuma doutrina humana pode substituir o que Deus estabelece como verdade absoluta!

1 João 2; 15 e 16: Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

Gálatas 1; 8: Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.




Referências:
Bíblia de Estudo Pentecostal
CPAD- Lição Jovens e Adultos, 2° Trimestre 2012
Estudos/Palestras nos Cultos do ProjeFérias
Wikipédia




Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla