Motivos para ter criado o Blog:

Mi foto
Eu criei este Blog pra levar a Palavra de Deus a toda criatura. (Marcos 16; 15) Obs.: É por meio deste Blog que eu estou publicando os Estudos que já havia enviado aos meus amigos por e-mail, e aos que não viram todos, aqui terão acesso a eles; pois também foi pelo aumento na demanda de pessoas nos grupos de e-mail que criei o blog. Eu já publiquei os novos, após publicar os anteriores." A Palavra de Deus se renova a cada manhã!", "O céu e a terra passarão, mas as minhas Palavras não hão de passar. - Mateus 24; 35" Um outro motivo pra o blog existir foi por causa de alguns amigos que me incentivaram/estimularam e ajudaram pra que essa idéia se concretizasse e por meio dela, muitas almas sejam alcançadas. Aproveitem este espaço pra conhecer um pouco mais da Palavra de Deus e me ensinar também! Obs.: “Muitas das mensagens que postei fui eu quem “escreveu”, utilizando a Palavra de Deus; e as que não fui eu que “escrevi” completamente ou complementei, procurei citar o nome do autor, e alguns que não coloquei foi por não saber quem é!” Este Blog só existe pra levar a Mensagem do Sofrimento de Jesus na Cruz, que foi por Amor a mim e a você! E não para qualquer outro propósito!

"Mas importa que o Evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações."

Marcos 13;10


jueves, 25 de junio de 2009

O que é a Páscoa?

Tudo começa com a ordem de Deus a faraó, através de Moisés, de libertar o seu povo. Mediante o poder de Deus, Moisés invoca pragas como julgamento contra o Egito e para mostrar a faraó que Deus não estava pra brincadeira. Enfim chega o momento da décima praga, o qual os egípcios não podiam escapar, é a morte dos primogênitos (Êxodo 12; 12).
O Senhor ordenou que seu povo sacrificasse um cordeiro macho de um ano de idade e sem defeito (Prenuncio da morte de Cristo) e aspergir o seu sangue nas duas ombreiras e na verga da porta de cada casa. Quando o destruidor passasse por aquela terra, ele passaria por cima daquelas casas que tivessem o sangue aspergido sobre elas (daí o termo Páscoa, do Hebraico pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima” ou “poupar”).
Deus ordenou o sinal do sangue, não porque Ele não tivesse outra forma de distinguir os israelitas dos egípcios, mas porque queria ensinar ao seu povo a importância da obediência e da redenção pelo sangue, preparando-o para o advento do “Cordeiro de Deus”, que séculos depois tiraria o pecado do mundo (João 1; 29).
Naquela noite específica, os israelitas deviam estar vestidos e preparados para viajar (Êxodo12; 11). Deviam assar o cordeiro, preparar ervas amargas e pães sem fermento (o fermento simboliza o pecado e a corrupção)(Êxodo 12; 29-36).
A partir desse momento histórico, o povo de Deus ia celebrar a Páscoa toda primavera, obedecendo às instruções divinas (Êxodo 12; 14). Era, porém, um sacrifício comemorativo, exceto o sacrifício inicial no Egito, que foi um sacrifício eficaz. Assim, de geração em geração, o povo hebreu relembrava a redenção divina e seu livramento do Egito (Êxodo 12; 26-28).
A última Ceia que Jesus participou com seus discípulos em Jerusalém, um pouco antes da cruz, foi uma refeição da Páscoa (Mateus 26; 1, 2, 17-29). O próprio Jesus foi crucificado na Páscoa, como o cordeiro pascoal (1 Coríntios 5; 7) que liberta do pecado e da morte todos aqueles que nEle crêem. Este foi um ato de amor sacrifícial, que foi pré-anunciado em Êxodo 12; 27, servindo de substituto do primogênito dos servos de Deus (Romanos 3; 25).
O cordeiro macho separado para morte tinha de ser “sem mácula” (Êxodo 12; 5); esse fato prefigura a impecabilidade de Cristo, o perfeito Filho de Deus (Hebreus 4; 15).
Alimentar-se do cordeiro representava a identificação da comunidade israelita com a morte física (1 Coríntios 10; 16 e 11; 24-26). Assim como na caso da Páscoa, somente o sacrifício inicial, a morte dEle na cruz, foi um sacrifício eficaz. Realizamos em continuação a Ceia do Senhor como um memorial, “em memória” dEle (1 Coríntios 11; 24).
O âmago do evento da Páscoa era a graça salvadora de Deus. Deus tirou os israelitas do Egito, não porque eles eram um povo merecedor, mas porque Ele os amou e é Fiel ao seu concerto (Deuteronômio 7; 7-10). Semelhantemente, a Salvação que recebemos de Cristo nos vem através da maravilhosa graça de Deus (Efésios 2; 8-10 e Tito 3; 4 e 5).
O propósito do sangue aplicado às vergas das portas era salvar da morte o filho primogênito de cada família; esse fato prenuncia o derramamento do sangue de Cristo na cruz a fim de nos salvar da morte e da ira de Deus contra o pecado (Êxodo 12; 13, 23, 27 e Hebreus 9; 22).
A aspersão do sangue nas vergas das portas era efetuada com fé obediente (Êxodo 12; 28 e Hebreus 11; 28); essa obediência pela fé resultou, então em redenção mediante o sangue de Cristo (Êxodo 12; 7 e 13). A Salvação mediante o sangue de Cristo se obtém através da “Obediência da fé” (Romanos 1; 15 e 16; 26).
Hebreus 9; 22: E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão dos pecados.
Efésios 2; 8: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; isto não vem de vós; é dom de Deus.
Lamentações 3; 22: As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos; porque as suas misericórdias não tem fim.
Romanos 3; 24-26: Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.
Romanos 10; 10: Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a Salvação.
Romanos 2; 12- 16: Porque todos os que sem lei pecaram sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram pela lei serão julgados. Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados. Porque, quando os gentios, que não tem lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei, os quais mostram a obra da lei escrita no seu coração, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os, no dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho.

O que não é Páscoa?

Hoje em dia os “símbolos” da Páscoa não tem nenhum fundo de verdade, pois foge dos fundamentos Bíblicos, por que em nenhum momento Deus mencionou na Bíblia estes tais “símbolos” (Ovo de Chocolate, Bacalhau, ...), eles são só apelo comercial para lucrar em cima de datas festivas, e isso é obvio que tem influência do maligno, pois ele quer tirar o foco real da Páscoa, que é o sacrifício de Jesus lá na cruz (1 João 2; 22-24: Quem é mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. Qualquer que nega o Filho também não tem o Pai; e aquele que confessa o Filho tem também o Pai. Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai.)
1 Coríntios 15; 3 e 4: Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.

Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Carinhosamente,
Erica Carla

No hay comentarios.: