Motivos para ter criado o Blog:

Mi foto
Eu criei este Blog pra levar a Palavra de Deus a toda criatura. (Marcos 16; 15) Obs.: É por meio deste Blog que eu estou publicando os Estudos que já havia enviado aos meus amigos por e-mail, e aos que não viram todos, aqui terão acesso a eles; pois também foi pelo aumento na demanda de pessoas nos grupos de e-mail que criei o blog. Eu já publiquei os novos, após publicar os anteriores." A Palavra de Deus se renova a cada manhã!", "O céu e a terra passarão, mas as minhas Palavras não hão de passar. - Mateus 24; 35" Um outro motivo pra o blog existir foi por causa de alguns amigos que me incentivaram/estimularam e ajudaram pra que essa idéia se concretizasse e por meio dela, muitas almas sejam alcançadas. Aproveitem este espaço pra conhecer um pouco mais da Palavra de Deus e me ensinar também! Obs.: “Muitas das mensagens que postei fui eu quem “escreveu”, utilizando a Palavra de Deus; e as que não fui eu que “escrevi” completamente ou complementei, procurei citar o nome do autor, e alguns que não coloquei foi por não saber quem é!” Este Blog só existe pra levar a Mensagem do Sofrimento de Jesus na Cruz, que foi por Amor a mim e a você! E não para qualquer outro propósito!

"Mas importa que o Evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações."

Marcos 13;10


sábado, 17 de marzo de 2012

Conheçamos JESUS:

Oséias 6; 3 a: Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR.

Jesus é o personagem central de uma das maiores religiões do mundo: o Cristianismo. Os seguidores de Jesus são chamados de cristãos.

As palavras “Cristianismo” e “cristão” vêm da palavra “Cristo”, o título que mais aparece associado ao nome de Jesus: JESUS CRISTO. Esse título significa “o ungido”, e ungir é uma cerimônia que torna uma pessoa um rei. Os seguidores de Jesus crêem que Jesus é o Rei enviado por Deus.

Jesus viveu na terra há cerca de dois mil anos. Ele pertenceu a um povo que, segundo a Bíblia, era o povo escolhido de Deus. No passado, eles eram conhecidos como o povo de Israel, mas, na época de Jesus, eles eram também chamados de judeus. Jesus viveu na terra que havia sido o lar do seu povo por centenas de anos, uma terra situada no litoral oriental do mar Mediterrâneo. Na época de Jesus, essa terra era parte do Império Romano.


Jesus nunca foi coroado como rei. Enquanto Ele vivia, alguns dos seus seguidores esperavam que ele tentasse tomar o poder daqueles que governavam a terra, mas Jesus não era um homem de brigas. Ele foi famoso na sua época como professor, porque ensinava sobre Deus nas cidades e vilas situadas ao redor da sua terra na região da Galileia e, mais adiante, na cidade do seu povo, Jerusalém.

João 18; 36: Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui.

Seus ensinamentos eram populares entre alguns, especialmente entre os pobres e desprezados. Entretanto, os líderes religiosos ficavam muitas vezes intrigados com o que Ele dizia, e muitos deles temiam que o seu ensino estivesse errado e que a sua popularidade se tornasse um perigo. Por fim, eles ficaram tão furiosos, que planejaram a sua morte.

Apesar disso, os seguidores de Jesus continuaram a espalhar a sua mensagem. O que eles diziam sobre Ele deu início a um novo movimento, primeiro entre os judeus, depois entre os não judeus, os gentios.

Esse movimento foi o início do Cristianismo. Essa fé definiu uma boa parte da história dos últimos dois mil anos e se espalhou por todo o mundo.


O evangelho é a mensagem transformadora do Calvário, não é livro, é mensagem. Se não é livro porque chamamos os quatro primeiros livros do Novo Testamento de “evangelhos”? Essa nomenclatura é externa, surgiu a partir do séc. II, mas parece haver apoio interno para isso: “Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus” (Marcos 1; 1). O evangelista Marcos, depois dessa declaração, passa a narrar o ministério público de Jesus, que o conteúdo do segundo livro na ordem do Novo Testamento, assim o termo “evangelho” passou a ganhar novo estilo literário.

Mateus, Marcos, Lucas e João são os quatro livros mais importantes do cristianismo, neles estão a base de todo o Novo Testamento, é, pois, impossível compreendê-lo sem esses livros.

Os três primeiros são chamados de “evangelhos sinóticos”, também se escreve “sinópticos”. Este nome foi aplicado por J. J. Griesbach, um alemão estudioso da Bíblia, por volta de 1774, e vem de duas palavras gregas syn, que significa “com”, e opsis, “ótica, vista”. A palavra “sinótico” significa, “visão conjunta”. Isto se aplica a Mateus, Marcos e Lucas porque eles são uma sinopse da vida de Cristo. Eles trazem muitas semelhanças entre si, no conteúdo e na apresentação.

Enquanto os sinóticos revelam o Senhor Jesus Cristo agindo, registrando as parábolas, os milagres, todos os feitos de Jesus; João, dirigido pelo Espírito Santo, preocupou-se mais em descrever os discursos profundos e abstratos de Jesus, revelando a sua deidade absoluta. O propósito é mostrar que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e que a fé em seu nome dá ao homem a vida eterna: “Estes, porém, foram escritos para que creias que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.” (João 20; 31)

Notícias a respeito de Jesus e da sua mensagem começaram a se espalhar porque o que ele dizia e fazia deixava as pessoas perplexas. Elas simplesmente não conseguiam parar de falar sobre Ele. Depois que Jesus deixou este mundo, seus seguidores saíram contando a seu respeito nas ruas, nos mercados e em qualquer lugar onde as pessoas se reunissem. Conforme o tempo foi passando, os seguidores de Jesus começaram a escrever algumas das coisas que eles sabiam e alguns desses escritos ainda existem. Os cristãos consideram os relatos a respeito da vida de Jesus os mais importantes entre eles.

Mateus 18; 20: Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.


Marcos

Alguns acreditam que um dos seguidores de Jesus começou a escrever suas histórias logo depois de sua morte. O relato mais antigo que ainda existe é chamado de Marcos.

Tradições antigas afirmam que o escritor foi João Marcos, o mesmo que viajou com um grupo de discípulos para muitos países situados ao redor do Império Romano, espalhando a mensagem Cristã.


Mateus e Lucas

Dois outros relatos existentes são chamados de Mateus e Lucas. Os escritores desses relatos repetem muitas das histórias encontradas em Marcos, algumas vezes com as mesmas palavras. Muitas pessoas acreditam que ambos consultam o relato de Marcos para ajudá-los. Mateus e Lucas também apresentam algumas histórias a mais que são muito semelhantes. Estudiosos acham que eles podem ter consultado outra fonte para seus escritos, outra coleção de histórias que eles chamam de “Q” (Quelle alemão, "fonte").

Tanto Mateus como Lucas possuem histórias que são encontradas apenas em seu relato. Aliás, Lucas escreveu um segundo livro a respeito do que os seguidores de Jesus fizeram após a sua morte. Esse livro é chamado de Atos dos Apóstolos.


João

Há mais um relato importante e que é um tanto diferente dos outros três. É o relato de João.

Uma tradição antiga afirma que esse era o mesmo João que foi um discípulo de Jesus e que esteve com Ele durante os três anos em que Ele ensinou e pregou.


Tradução e Significado da Palavra EVANGELHO:

A palavra “evangelho” vem de duas palavras gregas eu, que quer dizer “bem”, e de aggelia, que significa “mensagem, notícia, novas”. Assim, a palavra euaggelion quer dizer “boas novas, notícias alvissareiras”. Essa palavra aparece tanto no Velho Testamento como na literatura extra-Bíblica. No hebraico é bessorah, traduzida por euangelion na Septuaginta (2 Samuel 18; 20, 25 e 27: Mas Joabe lhe disse: Tu não serás hoje o portador de novas, porém outro dia as levarás; mas hoje não darás a nova, porque é morto o filho do rei. Gritou, pois, a sentinela, e o disse ao rei: Se vem só, há novas em sua boca. E vinha andando e chegando. Disse mais a sentinela: Vejo o correr do primeiro, que parece ser o correr de Aimaás, filho de Zadoque. Então disse o rei: Este é homem de bem, e virá com boas novas. / 2 Reis 7; 9: Então disseram uns para os outros: Não fazemos bem; este dia é dia de boas novas, e nos calamos; se esperarmos até à luz da manhã, algum mal nos sobrevirá; por isso agora vamos, e o anunciaremos à casa do rei.). Originalmente significava “pagamento pela transmissão de uma boa notícia”, no mundo pagão. Com o passar do tempo passou a ganhar novo significado no mundo romano, de fala grega, em virtude do culto ao imperador, para anunciar o nascimento do imperador ou de sua subida ao trono.

Esse vocábulo só aparece no singular em todo o Novo Testamento, 76 vezes; o verbo euaggelizo, “evangelizar”, 54; e euaggelistes, “evangelista”, 3. O Senhor Jesus Cristo é o conteúdo do evangelho: sua vinda, seu ministério terreno, seu sofrimento, morte e ressurreição (Romanos 1; 1-17: Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus. O qual antes prometeu pelos seus profetas nas santas escrituras, Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor, Pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome, Entre as quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo. A todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados santos: Graça e paz de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Primeiramente dou graças ao meu Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé. Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho, me é testemunha de como incessantemente faço menção de vós, Pedindo sempre em minhas orações que nalgum tempo, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião de ir ter convosco. Porque desejo ver-vos, para vos comunicar algum dom espiritual, a fim de que sejais confortados; Isto é, para que juntamente convosco eu seja consolado pela fé mútua, assim vossa como minha. Não quero, porém, irmãos, que ignoreis que muitas vezes propus ir ter convosco (mas até agora tenho sido impedido) para também ter entre vós algum fruto, como também entre os demais gentios. Eu sou devedor, tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes. E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma. Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.). É a mensagem de Cristo que salva o pecador (João 3; 16: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. / Romanos 1; 16: Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.). É o meio empregado por Deus para a salvação de todo aquele que crer (1 Coríntios 15; 2: Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão.). Só através do evangelho é que o homem conhece a salvação na Pessoa de Jesus. O evangelho de Jesus Cristo é a única resposta para este mundo que perece por causa do pecado.

No mundo grego tinha o sentido de recompensa por trazer boas novas. No Velho Testamento (Septuaginta) aparece com o sentido em si, ou seja, as próprias boas novas. Aparece em termos proféticos com o mesmo sentido que encontramos no Novo Testamento: “Quão formosos são, sobre os montes, os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, do que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, do que diz a Sião: O teu Deus reina!” (Isaías 52; 7). Veja o seu cumprimento em Romanos 10; 15: E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. No Novo Testamento são as boas novas que falam do reino de Deus, da salvação e do perdão dos pecados na Pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo. É o evangelho da graça de Deus (Atos 20; 24: Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.).


Boas-novas para todas as pessoas!

Desde que os cristãos reuniram as Escrituras pela primeira vez, os Evangelhos têm sido considerados na mais alta estima.

Originalmente escritos em grego, os Evangelhos, bem como outros livros da Bíblia, foram logo traduzidos para outras línguas. Os cristãos dos mais diferentes países queriam ouvir as histórias de Jesus na sua própria língua.

Uma das traduções mais antigas foi feita para a língua copta, uma forma do egípcio antigo. A Bíblia Copta ainda é utilizada nas igrejas coptas do Nordeste da África.

Outra tradução foi para o siríaco. Essa língua era um tipo de aramaico, a língua que Jesus provavelmente falava. A tradução siríaca, a Peshita, ainda é usada por cristãos da Síria, Irã e Índia. Também é utilizada por um dos grupos cristãos que toma conta da Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém, onde muitos cristãos de todo o mundo se reúnem para ouvi-la sendo lida em voz alta. Essa leitura dá a eles a oportunidade de ouvirem as palavras de Jesus numa forma semelhante às palavras que ele mesmo usou.

Quando o cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano em 312, torno-se cada vez mais necessário ter uma tradução confiável da Bíblia em latim. Um monge chamado Jerônimo assumiu esse trabalho em 384. Sua tradução, conhecida como Vulgata, tornou-se a versão mais importante da Bíblia nas igrejas ocidentais durante os mil anos seguintes. Entre o quinto e sexto século, outra tradução foi feita para o eslavo antigo e esta tornou-se a Bíblia oficial da Igreja Ortodoxa Russa no Oriente.

Na Idade Média, monges cristãos na Europa mostraram o quanto eles valorizavam a Bíblia produzindo cópias, geralmente da Vulgata, ricamente decoradas. Copiar a Bíblia inteira manualmente era um trabalho longo. Por isso, algumas vezes eles decidiam copiar apenas os Evangelhos.

Ainda hoje os cristãos que levam a sua fé para territórios diferentes no mundo e querem traduzir a Bíblia para as línguas locais geralmente começam pelos Evangelhos. Quando impressos, eles compõem um pequeno livro de baixo custo que pode ser vendido por um preço baixo ou até distribuído gratuitamente.

Fontes:
Além-Mar do Pr. Esequias Soares;
Quem é Jesus? de Lois Rock.


A mensagem do evangelho não é uma alternativa de vida, mas se trata de uma questão de vida ou morte, dele depende salvação do ser humano!

Quer contribuir pra que esta mensagem seja levada a mais pessoas?
Se você ainda não serve e nem segue a Jesus, Aceite-o hoje mesmo como Único e Suficiente Senhor e Salvador da sua vida e após isto pregue o evangelho genuíno de Cristo a todos quantos você conhecer.


Que Deus em Cristo vos Abençoe!

Fraternalmente,
Erica Carla

No hay comentarios.: